alimentação saudável na educação infantil

Alimentação Saudável na Educação Infantil

O artigo de hoje vai abordar o tema: Alimentação saudável na educação infantil e a importância do papel dos profissionais da saúde e educação no processo de orientação da alimentação saudável infantil.

Por que fazer as crianças pequenas comerem alimentos saudáveis é uma missão tão difícil?

Se você já tentou alimentar uma criança que diz “não” para certos alimentos como legumes, frutas e verduras. Então você sabe muito bem que esta pode ser uma tarefa bastante difícil.

Isso porque a criança levanta toda hora, fala “eca” para as leguminosas, algumas simplesmente não querem comer a proteína e por aí vai…

Imagem: istoks

A Questão da Alimentação Saudável na Educação Infantil

Existe também aquelas crianças que preferem pular as principais refeições e pedem guloseimas a toda hora. Além de muitos outros fatores que dificultam a alimentação saudável na idade infantil.

Nós da equipe deste blog Emagrecer Pra Valer convidamos você a participar desta reflexão acerca do tema: alimentação saudável na educação infantil. Nosso objetivo é encontrar meios de melhorar a qualidade da alimentação infantil.

Pois acreditamos que crianças que crescem com hábitos alimentares saudáveis possuem menos chances de se tornarem adultos com problemas de saúde relacionados ao sobrepeso.

Introdução de Alimentos Saudáveis na Alimentação Infantil

Introduzir alimentos mais saudáveis na alimentação das crianças pode ser um processo bastante complicado sem a abordagem correta dos pais e responsáveis pela alimentação delas.

A verdade é que muitos pais e cuidadores se perdem na condução da alimentação saudável infantil. O resultado disso é uma criança que come cada vez menos, pula refeições e troca refeições principais por guloseimas.

Como consequência de tudo isso, diminui consideravelmente a variedade de alimentos saudáveis que a criança ingere diariamente.

Alimentação Saudável na Educação Infantil: Um Processo de Aprendizagem

De acordo com a fonoaudióloga Aline Padovani “O que todos desconsideram é que não é apenas a criança que está aprendendo a comer. O instinto materno é um grande fardo que a ‘mulher-mãe carrega e o contrário do que se pensa, alimentar uma criança em desenvolvimento não é fácil.”

Não é fácil e menos ainda intuitivo. É fato que grande parte da responsabilidade de alimentar a criança recai quase sempre sobre a mãe. Assim como a culpa por uma eventual alimentação inadequada.

Da mesma forma que os bebês não nascem sabendo comer, as mães também não nascem sabendo alimentar. A aprendizagem o tempo todo é recíproca afirma a fonoaudióloga.

Fatores que Prejudicam a Condução da Alimentação Saudável na Idade Infantil

O modelo tradicional de alimentação infantil que a sociedade cultiva é a mentalidade do comer como uma atividade diária. Essa atividade segue o modelo de um checklist que é preciso preencher.

O problema é que isso desconsidera o papel socioemocional que a comida desempenha em nossas vidas. Dessa forma, reforça o paradigma que a criança tem que comer tudo e de tudo para crescer forte e saudável.

Outra grande questão é que profissionais como pediatras, nutricionistas, fonoaudiólogos, psicólogos e terapeutas educacionais têm visto um crescente número de crianças ansiosas. Essas crianças recusam um grande número de alimentos em todas as refeições.

Parte dessas crianças têm problemas orgânicos gastrointestinais, sensoriais motores; outra parte tem um grave problema de comunicação. E se você pensa que esse problema é apenas dos pais da criança está muito enganado pois não é!

Importância do Papel dos Profissionais na Alimentação Saudável na Educação Infantil

Esse problema é de todas as pessoas que acompanham essa criança incluindo os profissionais da saúde e educação.

Porque esses pais mal orientados tomam decisões ruins na condução da alimentação infantil. E, muitas vezes, na tentativa de ajudar, o profissional piora as dificuldades alimentares.

Fato é que um grande número de pais e cuidadores encontram-se perdidos na educação alimentar infantil.

Perdidos também estão alguns profissionais que acabam passando orientações que são, por vezes, contraproducentes. Isso piora o problema de introdução de alimentos saudáveis na alimentação das crianças e isso acaba gerando mais disputas, birras e estresses na hora da alimentação.

Diante do exposto percebe-se a falta de orientações qualificadas que aborde, de forma prática, o tema que se apresenta ser de grande relevância para a sociedade como um todo: a alimentação saudável na educação infantil e o papel desempenhado pelos profissionais da saúde e educação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo ❤