Suplementos naturais

Os suplementos naturais são produtos que contêm substâncias extraídas de plantas, animais, minerais ou outros elementos da natureza. Eles são usados para complementar a alimentação, prevenir ou tratar doenças, melhorar o desempenho físico ou mental, ou simplesmente promover o bem-estar geral. Mas você sabe quais são os suplementos naturais mais populares e quais são os seus benefícios e riscos? Neste artigo, vamos apresentar 7 suplementos naturais que você precisa conhecer e explicar como eles podem ajudar você a ter uma vida mais saudável e equilibrada.

O que são Suplementos Naturais e por que eles são Importantes?

Suplementos naturais são produtos que contêm uma ou mais substâncias naturais que têm algum efeito sobre o organismo. Eles podem ser encontrados em diferentes formas, como cápsulas, comprimidos, pós, líquidos, extratos, óleos, cremes, entre outros. Eles podem ser classificados em diferentes categorias, de acordo com a sua origem, composição, finalidade ou modo de uso. Por exemplo, existem suplementos naturais de origem vegetal, animal, mineral, vitamínica, mineral, antioxidante, energética, imunológica, hormonal, entre outras.

Os suplementos naturais são importantes porque podem oferecer benefícios para a saúde que nem sempre são obtidos pela alimentação ou pelos medicamentos convencionais. Eles podem fornecer nutrientes essenciais, estimular o sistema imunológico, combater o estresse, melhorar o humor, aumentar a energia, prevenir ou tratar doenças, retardar o envelhecimento, entre outros efeitos positivos. Além disso, eles podem ter menos efeitos colaterais e contraindicações do que os medicamentos sintéticos, desde que sejam usados com moderação e orientação profissional.

Dicas Importantes sobre o Uso de Suplementos Naturais

Antes de usar qualquer suplemento natural, é importante seguir algumas dicas para garantir a sua segurança e eficácia. Veja a seguir:

  • Consulte um médico ou um nutricionista antes de iniciar o uso de qualquer suplemento natural, especialmente se você tiver alguma condição de saúde, estiver grávida, amamentando, tomando algum medicamento ou tiver alguma alergia. Eles podem avaliar a sua necessidade, indicar a dose, a forma, a duração e a frequência do uso, e monitorar os resultados e os possíveis efeitos adversos.
  • Escolha suplementos naturais de qualidade, de marcas confiáveis e com registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Verifique o rótulo e a embalagem do produto, e certifique-se de que ele contém as informações sobre a composição, a origem, a validade, o lote, o fabricante, o distribuidor, as instruções de uso, os cuidados de conservação, as advertências e as contraindicações.
  • Siga as recomendações de uso do suplemento natural, respeitando a dose, a forma, a duração e a frequência indicadas pelo profissional ou pelo fabricante. Não exceda a dose recomendada, pois isso pode causar efeitos indesejados ou tóxicos. Não misture suplementos naturais sem orientação, pois eles podem interagir entre si ou com outros medicamentos, alimentos ou bebidas. Não substitua a alimentação ou o tratamento médico pelo suplemento natural, pois ele é apenas um complemento e não uma solução milagrosa.
  • Observe os efeitos do suplemento natural no seu organismo, e comunique ao profissional qualquer alteração ou reação que você perceber. Alguns suplementos naturais podem causar efeitos colaterais, como náuseas, vômitos, diarreia, dor de cabeça, alergia, irritação, sonolência, insônia, nervosismo, entre outros. Alguns suplementos naturais também podem ter contraindicações, como hipertensão, diabetes, problemas renais, hepáticos, cardíacos, entre outros. Se você sentir algum desconforto ou mal-estar, suspenda o uso do suplemento natural e procure ajuda médica.

7 Suplementos Naturais que Você Precisa Conhecer

Agora que você já sabe o que são suplementos naturais e como usá-los com segurança, vamos conhecer 7 suplementos naturais que podem trazer benefícios para a sua saúde e bem-estar. Confira:

suplementos naturais essenciais

1. Ômega-3

O ômega-3 é um tipo de gordura poli-insaturada que tem funções importantes no organismo, como regular a inflamação, o colesterol, a pressão arterial, a coagulação sanguínea, a função cerebral, a visão, entre outras. O ômega-3 não é produzido pelo corpo, e por isso deve ser obtido pela alimentação ou pela suplementação. As principais fontes alimentares de ômega-3 são os peixes de água fria, como salmão, atum, sardinha, cavala, entre outros, e as sementes e óleos vegetais, como linhaça, chia, nozes, canola, entre outros.

O suplemento de ômega-3 pode ser encontrado em cápsulas ou líquidos, e geralmente contém dois tipos de ômega-3: o ácido eicosapentaenoico (EPA) e o ácido docosaexaenoico (DHA). O suplemento de ômega-3 pode trazer benefícios para a saúde cardiovascular, prevenindo e tratando doenças como infarto, derrame, arritmia, aterosclerose, entre outras.

O suplemento de ômega-3 também pode melhorar a saúde cerebral, prevenindo e tratando doenças como depressão, ansiedade, Alzheimer, Parkinson, entre outras. Além disso, o suplemento de ômega-3 pode melhorar a saúde da pele, dos cabelos, das unhas, dos olhos, das articulações, entre outras partes do corpo.

A dose recomendada de suplemento de ômega-3 varia de acordo com a idade, o estado de saúde, o objetivo e a fonte do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 1 e 3 gramas de ômega-3 por dia, divididos em duas ou três doses. O suplemento de ômega-3 deve ser tomado com as refeições, para facilitar a absorção e evitar desconfortos digestivos.

O suplemento de ômega-3 pode ter efeitos colaterais, como náuseas, vômitos, diarreia, arrotos, gosto de peixe na boca, entre outros. O suplemento de ômega-3 também pode ter contraindicações, como alergia a peixes ou frutos do mar, problemas de coagulação, uso de anticoagulantes, cirurgia, gravidez, amamentação, entre outras. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de ômega-3.

2. Vitamina D

A vitamina D é um tipo de hormônio que tem funções importantes no organismo, como regular o metabolismo do cálcio e do fósforo, a formação e a manutenção dos ossos e dos dentes, a função muscular, a imunidade, a inflamação, a expressão gênica, entre outras. A vitamina D pode ser produzida pelo corpo, quando a pele é exposta à luz solar, ou obtida pela alimentação ou pela suplementação. As principais fontes alimentares de vitamina D são os peixes de água fria, como salmão, atum, sardinha, cavala, entre outros.

3. Probióticos

Os probióticos são micro-organismos vivos que têm efeitos benéficos para a saúde, especialmente para o equilíbrio da flora intestinal. Eles podem ser encontrados em alimentos fermentados, como iogurte, kefir, chucrute, kimchi, kombucha, entre outros, ou em suplementos, como cápsulas, pós, líquidos, entre outros. Eles podem conter diferentes tipos de bactérias ou leveduras, como Lactobacillus, Bifidobacterium, Saccharomyces, entre outros.

O suplemento de probióticos pode trazer benefícios para a saúde digestiva, prevenindo e tratando doenças como diarreia, constipação, síndrome do intestino irritável, doença inflamatória intestinal, infecções, entre outras. O suplemento de probióticos também pode melhorar a saúde imunológica, prevenindo e tratando doenças como alergias, asma, resfriados, gripes, entre outras. Além disso, o suplemento de probióticos pode melhorar a saúde metabólica, prevenindo e tratando doenças como obesidade, diabetes, colesterol alto, entre outras.

A dose recomendada de suplemento de probióticos varia de acordo com o tipo, a quantidade, a finalidade e a fonte do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 1 e 10 bilhões de unidades formadoras de colônia (UFC) de probióticos por dia, divididos em uma ou mais doses. O suplemento de probióticos deve ser tomado com as refeições, para facilitar a sobrevivência e a colonização dos micro-organismos no intestino.

O suplemento de probióticos pode ter efeitos colaterais, como gases, inchaço, cólicas, náuseas, entre outros. O suplemento de probióticos também pode ter contraindicações, como alergia a algum componente, imunodeficiência, uso de antibióticos, cirurgia, gravidez, amamentação, entre outras. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de probióticos.

4. Magnésio

O magnésio é um mineral essencial que tem funções importantes no organismo, como participar de mais de 300 reações enzimáticas, regular o metabolismo energético, a contração muscular, a transmissão nervosa, o equilíbrio eletrolítico, a síntese de proteínas, o DNA e o RNA, entre outras. O magnésio pode ser obtido pela alimentação ou pela suplementação.

As principais fontes alimentares de magnésio são os vegetais verdes escuros, como espinafre, couve, brócolis, entre outros, as oleaginosas, como amêndoas, castanhas, nozes, entre outros, os grãos integrais, como aveia, quinoa, arroz integral, entre outros, as leguminosas, como feijão, lentilha, grão de bico, entre outros, e o chocolate amargo.

O suplemento de magnésio pode ser encontrado em diferentes formas, como óxido, citrato, cloreto, sulfato, glicinato, entre outros, e em diferentes apresentações, como cápsulas, comprimidos, pós, líquidos, entre outros. O suplemento de magnésio pode trazer benefícios para a saúde muscular, prevenindo e tratando doenças como cãibras, espasmos, fadiga, fraqueza, entre outras.

O suplemento de magnésio também pode melhorar a saúde cardiovascular, prevenindo e tratando doenças como hipertensão, arritmia, angina, infarto, derrame, entre outras. Além disso, o suplemento de magnésio pode melhorar a saúde neurológica, prevenindo e tratando doenças como enxaqueca, insônia, ansiedade, depressão, epilepsia, entre outras.

A dose recomendada de suplemento de magnésio varia de acordo com a idade, o estado de saúde, o objetivo e a forma do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 300 e 400 miligramas de magnésio por dia, divididos em duas ou três doses. O suplemento de magnésio deve ser tomado com as refeições, para facilitar a absorção e evitar desconfortos digestivos.

O suplemento de magnésio pode ter efeitos colaterais, como diarreia, náuseas, vômitos, dor de estômago, entre outros. O suplemento de magnésio também pode ter contraindicações, como alergia a algum componente, problemas renais, hepáticos, cardíacos, entre outros. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de magnésio.

5. Curcumina

A curcumina é um composto ativo extraído da cúrcuma, uma especiaria de cor amarela e sabor picante, que é usada na culinária e na medicina tradicional indiana e chinesa. A curcumina tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, anticancerígenas, antimicrobianas, antidiabéticas, entre outras. A curcumina pode ser obtida pela alimentação, adicionando a cúrcuma aos alimentos, ou pela suplementação, em cápsulas, comprimidos, pós, líquidos, entre outros.

O suplemento de curcumina pode trazer benefícios para a saúde articular, prevenindo e tratando doenças como artrite, artrose, tendinite, bursite, entre outras. O suplemento de curcumina também pode melhorar a saúde digestiva, prevenindo e tratando doenças como gastrite, úlcera, refluxo, colite, entre outras. Além disso, o suplemento de curcumina pode melhorar a saúde hepática, prevenindo e tratando doenças como hepatite, cirrose, esteatose, entre outras.

A dose recomendada de suplemento de curcumina varia de acordo com o estado de saúde, o objetivo e a forma do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 500 e 1500 miligramas de curcumina por dia, divididos em duas ou três doses. O suplemento de curcumina deve ser tomado com as refeições, para facilitar a absorção e evitar desconfortos digestivos.

O suplemento de curcumina pode ter efeitos colaterais, como náuseas, vômitos, diarreia, dor de estômago, sangramento, entre outros. O suplemento de curcumina também pode ter contraindicações, como alergia a algum componente, problemas de coagulação, uso de anticoagulantes, cirurgia, gravidez, amamentação, entre outras. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de curcumina.

6. Ginseng

O ginseng é uma planta medicinal originária da Ásia, que tem raízes carnudas e ricas em substâncias chamadas ginsenosídeos, que têm efeitos adaptogênicos, ou seja, que ajudam o organismo a se adaptar ao estresse físico ou mental.

O ginseng pode ser encontrado em diferentes variedades, como o ginseng coreano, o ginseng americano, o ginseng siberiano, entre outros, que têm propriedades e usos diferentes. O ginseng pode ser obtido pela alimentação, consumindo a raiz fresca, seca ou em pó, ou pela suplementação, em cápsulas, comprimidos, extratos, chás, entre outros.

O suplemento de ginseng pode trazer benefícios para a saúde energética, prevenindo e tratando a fadiga, a fraqueza, a sonolência, a falta de concentração, entre outras. O suplemento de ginseng também pode melhorar a saúde imunológica, prevenindo e tratando infecções, inflamações, alergias, entre outras. Além disso, o suplemento de ginseng pode melhorar a saúde sexual, prevenindo e tratando a disfunção erétil, a ejaculação precoce, a libido baixa, entre outras.

A dose recomendada de suplemento de ginseng varia de acordo com o tipo, a qualidade, a finalidade e a forma do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 100 e 300 miligramas de ginseng por dia, divididos em uma ou duas doses. O suplemento de ginseng deve ser tomado pela manhã ou à tarde, para evitar a interferência com o sono.

O suplemento de ginseng pode ter efeitos colaterais, como nervosismo, insônia, taquicardia, hipertensão, dor de cabeça, sangramento, entre outros. O suplemento de ginseng também pode ter contraindicações, como alergia a algum componente, problemas de coagulação, uso de anticoagulantes, antidepressivos, estimulantes, hormônios, entre outros. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de ginseng.

7. Melatonina

A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que regula o ciclo circadiano, ou seja, o ritmo biológico de 24 horas que determina os períodos de sono e vigília. A melatonina é liberada à noite, quando há ausência de luz, e é inibida durante o dia, quando há presença de luz. A melatonina pode ser afetada por fatores como idade, estresse, jet lag, trabalho noturno, exposição à luz artificial, entre outros, que podem alterar o ciclo circadiano e causar distúrbios do sono.

A melatonina pode ser obtida pela alimentação, consumindo alimentos como cerejas, nozes, amêndoas, aveia, milho, tomate, entre outros, ou pela suplementação, em cápsulas, comprimidos, líquidos, entre outros.

O suplemento de melatonina pode trazer benefícios para a saúde do sono, prevenindo e tratando distúrbios como insônia, sonolência diurna, dificuldade para adormecer ou acordar, entre outros. O suplemento de melatonina também pode melhorar a saúde imunológica, prevenindo e tratando infecções, inflamações, alergias, entre outras.

Além disso, o suplemento de melatonina pode melhorar a saúde antioxidante, prevenindo e tratando doenças como envelhecimento, câncer, doenças neurodegenerativas, entre outras.

A dose recomendada de suplemento de melatonina varia de acordo com o estado de saúde, o objetivo e a forma do suplemento. Em geral, recomenda-se consumir entre 0,5 e 5 miligramas de melatonina por dia, em uma única dose, cerca de 30 minutos antes de dormir. O suplemento de melatonina deve ser tomado com água, sem alimentos, para facilitar a absorção e o efeito.

O suplemento de melatonina pode ter efeitos colaterais, como sonhos vívidos, pesadelos, dor de cabeça, tontura, náusea, irritabilidade, entre outros. O suplemento de melatonina também pode ter contraindicações, como alergia a algum componente, uso de medicamentos que afetam o sistema nervoso central, como antidepressivos, ansiolíticos, hipnóticos, entre outros, gravidez, amamentação, entre outras. Por isso, é importante consultar um médico ou um nutricionista antes de usar o suplemento de melatonina.

Leia também

Emagrecimento – Descubra dicas, estratégias, planos de dieta e exercícios cuidadosamente elaborados para ajudar você a atingir sua melhor versão

Fitness – Descubra rotinas de exercícios, dicas de treinamento, planos de fitness personalizados e tudo que você precisa para alcançar seus objetivos de boa forma.

Suplementos naturais

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu o que são suplementos naturais, como usá-los com segurança e quais são os 7 suplementos naturais que você precisa conhecer. Você viu que os suplementos naturais podem oferecer benefícios para a sua saúde e bem-estar, mas que também podem ter efeitos colaterais e contraindicações, e que por isso devem ser usados com moderação e orientação profissional. Você também viu que os suplementos naturais não substituem a alimentação ou o tratamento médico, mas que são apenas um complemento que pode potencializar os seus resultados.

Esperamos que este artigo tenha sido útil e informativo para você. Se você gostou, deixe a sua opinião sincera, sugestões e compartilhe o artigo com os seus amigos. Até a próxima! 😊

Veja mais sobre suplementos naturais em nossas redes sociais

By Andreas

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo ❤